CNH Terá versão digital a partir de fevereiro de 2.018

Motoristas que esquecerem a CNH em casa poderão se identificar por um aplicativo de celular e evitar multas     Nova CNH (Foto: divulgação)

A partir de fevereiro de 2018, os motoristas de todo o país não serão mais multados caso sejam pegos dirigindo sem a Carteira Nacional de Habilitação. Isso porque o Conselho Nacional de Trânsito aprovou nesta terça-feira (25) um projeto que cria uma versão digital da CNH.

Na prática, será permitido que motoristas de todo o país se identifiquem por meio de um aplicativo de smartphone. Apesar da novidade, a CNH tradicional seguirá sendo impressa normalmente. “Estamos dando um passo à frente, desburocratizando o processo. Há um conjunto de padrões técnicos para suportar um sistema criptográfico que assegura a validade do documento. Com isso, quem esquece a CNH em casa, não estará sujeito à multa e pontos na carteira. Basta apresentar o documento digital”, diz Bruno Araújo, Ministro das Cidades.

Assim, seguirá sendo obrigatório dirigir portando a CNH, seja ela impressa ou no aplicativo online. Para se certificar de que aquele documento virtual é válido, policiais e agentes de trânsito utilizarão um sistema de assinatura com certificado digital ou de leitora de códigos QR. Por enquanto,porém, este aplicativo ainda está em fase de testes.

Desde maio deste ano, todas as CNHs emitidas no país contam com um código QR impresso no verso do documento. Segundo o Ministério das Cidades, o objetivo da tecnologia é evitar fraudes e não é necessário atualizar o documento apenas para contar com o código QR. O objetivo do governo é que todas as habilitações sejam atualizadas conforme o prazo de vencimento padrão.

Auto Esporte

Câmera dupla: entenda o que um celular ganha com duas lentes

 As câmeras duplas são uma moda nova no mercado de celulares, que o Olhar Digital já havia antecipado em 2016. O iPhone tem, o G6 tem, o Moto Z2 deverá ter e até o Moto G5S terá. Celulares que não chegam ao país como o OnePlus 5 e o Huawei Mate 9 também apostam na tecnologia.

Afinal de contas, qual é a vantagem de ter duas lentes traseiras no celular? Como isso contribui para sua foto? Antes de tudo, é necessário saber que existem várias tecnologias que utilizam sensores diferentes para criar uma mesma imagem.

Zoom óptico

O zoom de câmeras de celulares são historicamente ruins. O problema é simples: as lentes não são móveis, então não é possível realizar a aproximação da imagem. O zoom digital é, na prática, como colocar uma imagem no Photoshop, recortar uma parte da foto e ampliá-la, o que causa perda enorme de qualidade.

Com duas lentes, você tem a opção de ter um sensor dedicado a pegar imagens amplas e abertas e outro sensor fechado, com um zoom mais próximo. As câmeras de iPhone 7 Plus e do G6 trabalham assim.

Duas câmeras formam uma imagem

O iPhone 7 Plus se destaca um pouco da competição no mercado nacional, porque é o único que consegue fazer suas duas lentes trabalharem em conjunto com um propósito: o modo retrato da câmera. No exterior, o OnePlus 5 usa os sensores da mesma forma.

Este modo utiliza as duas lentes ao mesmo tempo para processar a cena em tempo real e destacar o objeto do plano de fundo, criando um desfoque muito bom no cenário. O uso das duas lentes, assim como nas imagens em 3D, permite que o celular tome conhecimento da profundidade da imagem, o que permite borrar o que está ao redor do motivo da fotografia.

Melhores resultados em situação de baixa luz

Outra aplicação das duas lentes deve ser vista no Moto G5S e já foi aplicada no Huawei Mate 9. Uma das lentes capturará apenas imagens em escala de cinza. Isso significa que o sensor só servirá para fotos em preto e branco que ficam lindas no Instagram? Não, nem de longe.

A ideia também é usar as duas lentes em conjunto para criar uma imagem mais complexa. O sensor monocromático é mais eficiente para capturar detalhes e a luminosidade, enquanto o sensor colorido, obviamente, fica responsável por registrar as cores. Ao fazer duas imagens ao mesmo tempo, é possível processá-las em uma só, permitindo menos ruído em situações de pouca luz e imagens mais detalhadas.

Olhar Digital

Usuários terão de pagar para ler notícias no Facebook

Prepare-se para pagar pelas notícias que circulam dentro do Facebook. A rede social confirmou uma história que surgiu no mês passado sugerindo que a rede social implementaria um sistema de acesso pago a conteúdo jornalístico.

A ideia já tinha sido aventada por representantes da indústria de notícias internacional e, nesta terça-feira, 18, a diretora do Facebook que negocia parcerias com esse mercado, Campbell Brown, disse que é tudo verdade.

“E isso é algo que estamos fazendo agora”, continuou a executiva. “Estamos lançando um produto de assinatura.”

Olhar Digital

Home Theater reproduz som em 360° e ainda tem função ‘levitação’

Conjunto de caixas de som permite controle por voz, funciona como repetidor de sinal Wi-Fi e chama atenção pelos alto-falantes que levitam

Além disso, o Spaco pode funcionar como repetidor Wi-Fi, incentivando o uso das caixinhas em vários ambientes numa residência. Disponível no Indiegogo, o produto pode ser adquirido e enviado ao Brasil.

Spaco conta com seis caixas de som e usa levitação para garantir som mais limpo, livre de vibrações (Foto: Divulgação/Aswy)

Spaco conta com seis caixas de som e usa levitação para garantir som mais limpo, livre de vibrações (Foto: Divulgação/Aswy)

Mais do que um truque visual, a levitação das caixas de som tem um motivo técnico. De acordo com os criadores do Spaco, essa característica impede atrito e vibrações, permitindo que a reprodução tenha 360°, garantindo maior imersão.

No interior das caixinhas, existem quatro drivers para reprodução de som, cada um deles voltados para uma direção. Segundo o fabricante, esse design favorece a redução de distorção, amplia os detalhes e o alcance do som. Voltado para cima, o alto-falante para som agudo é a parte que levita do Spaco e, voltado para baixo, um woofer para os graves.

Levitação magnética dos alto-falantes para agudos impede que vibrações provoquem distorção no som (Foto: Divulgação/Aswy)

Levitação magnética dos alto-falantes para agudos impede que vibrações provoquem distorção no som (Foto: Divulgação/Aswy)

 O usuário pode controlar o sistema todo com a voz, dando comandos de reprodução, pausa, pular para a próxima música, aumentar ou diminuir o volume, por exemplo. Alternativamente, há um app específico para acessar as funcionalidades do Spaco no telefone celular.

Outro recurso interessante do dispositivo é a capacidade de funcionar como repetidor Wi-Fi. Nesse sentido, quem comprar um conjunto de caixas Spaco (o pacote é formado por seis unidades) pode usá-las não apenas para levar som para todos os ambientes, mas também para estender a cobertura de Internet wireless da residência.

A campanha de financiamento do Spaco no Indiegogo já terminou, mas ainda é possível adquirir o aparelho por meio do site. Para levar o conjunto completo com seis caixas, o interessado terá que desembolsar US$ 1.549 (R$ 5.055, em conversão direta sem impostos). As entregas começam em outubro e o frete para o Brasil é de R$ 130.

Indiegogo

Imagens vazadas mostram suposto top de linha da Nokia

 A Nokia já vem reconquistando espaço no mercado com os celulares Android que foram mostrados na Mobile World Congress deste ano. Mas imagens vazadas recentemente mostram que a empresa ainda tem uma carta na manga que deve permitir que ela encare as líderes do mercado de smartphones, como Samsung e Apple.

O site chinês CNMO obteve algumas imagens de divulgação do suposto Nokia 8, o dispositivo top de linha da empresa. Segundo o material vazado, o aparelho deve ter alguns dos principais recursos dos celulares de ponta atuais, como tela quase sem bordas, corpo arredondado e hardware capaz de performance extremamente rápida. Veja as imagens abaixo:

Reprodução

Nas imagens, é possível ver que o dispositivo terá conexão USB-C e espaço suficiente para uma entrada de fone de ouvido. O mais notável, porém, é a tela do aparelho, que está mais visível na primeira imagem. Ela parece chegar até as laterais do dispositivo ou talvez até mesmo contorná-lo, de maneira semelhante ao Galaxy S8, da Samsung.

De acordo com o BGR, o hardware do dispositivo deve ser tão impressionante quanto sua aparência. Seu processador deve ser o Snapdragon 835 (mesmo do Galaxy S8), com 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. A tela, por sua vez, deve ter uma diagonal de 6 polegadas e resolução 2K. Quanto às câmeras, o site não dá informações, mas a longa faixa na traseira do dispositivo sugere que pode haver mais de um sensor nas suas costas.

Por enquanto, a Nokia não fez nenhum anúncio oficial sobre o dispositivo. Mesmo assim, o site especula que ele deve ser ao menos anunciado até o fim de setembro. Quanto ao preço, o CNMO informa que ele custará, na China, 3.188 yuan, o que equivale a cerca de R$ 1.500 na conversão direta. Mas, se o aparelho chegar até aqui, o preço deve acabar sendo bem maior.

Olhar Digital

Conheça 4 vantagens do Chromecast para as Smart TVs

 Escolher uma TV nova não é uma tarefa muito fácil. É preciso analisar quesitos como qualidade de imagem, som, resolução, entre várias outras coisas diferentes. E também software. Afinal de contas, em tempos de consumo de mídia vinculado à internet, é importante que a sua TV tenha acesso bom a serviços como YouTube e Netflix.

Existem muitos sistemas operacionais diferentes para Smart TVs, o que dificulta ainda mais a escolha. Ou talvez não – você pode deixar isso de lado e apostar em um Chromecast. Abaixo separamos algumas coisas que o Chromecast faz melhor do que muitas das Smart TVs.

 O Chromecast é extremamente simples: conecte à porta HDMI da TV e a alguma fonte de energia (tanto uma das portas USB da TV quanto uma tomada), configure a sua rede Wi-Fi e pronto, é só usar.

Smart TVs podem ser mais complexas em alguns casos. No Chromecast, os apps não precisam ser instalados, já que você dá o comando pelo smartphone e ele abre o app específico. Nas Smart TVs, talvez você tenha que passar um tempo até encontrar o app da Netflix para começar a ver um vídeo.

2. Controles

Como dissemos anteriormente, o Chromecast é controlado pelo smartphone, ou pelo PC. Por isso ele é bem mais fácil de ser usado do que Smart TVs convencionais, com controles nem sempre intuitivos.

Recursos como reconhecimento de voz não funcionam perfeitamente, então buscar o vídeo que você quer no YouTube é um pouco mais difícil na Smart TV. Já tentou digitar usando o controle da TV? Não é muito prático.

No Chromecast, você pode buscar o vídeo pelo app do YouTube, tocar no ícone do Google Cast e pronto, ele começa a ser reproduzido na TV. Todos os controles aparecem na tela do smartphone depois: pausar, parar, ir para o próximo vídeo, avançar. Além disso, com o app Google Home, você consegue controle total sobre o que está sendo transmitido no dispositivo.

O protocolo Google Cast também é compatível com algumas Smart TVs, mas você precisa descobrir se o modelo que você quer comprar vai funcionar bem com isso, então acaba sendo mais vantajoso apostar em um Chromecast.

3. Compatibilidade e atualizações

Como existem muitos sistemas operacionais diferentes para TVs, o mercado fragmentado dificulta o desenvolvimento de apps. Às vezes um app deixa de funcionar com determinada plataforma e aí quem usa Smart TV com essa plataforma perde o acesso a ele.

O Chromecast soluciona esse problema: ele é compatível com apps que tenham suporte ao protocolo Google Cast, e ele continua recebendo atualizações do Google até hoje, o que não deve parar tão cedo.

Então é mais garantido que um Chromecast continue sendo compatível com Netflix, YouTube e mais nos próximos anos, e não dá para dizer que todas as plataformas de Smart TVs também vão continua rodando esses apps no futuro.

Além disso, novos recursos nem sempre chegam imediatamente a apps de Smart TVs, diferentemente do Chromecast, que ganha a novidade assim que ela é disponibilizada no smartphone ou na versão web.

4. Preço

Em um primeiro momento, comprar uma Smart TV e um Chromecast não soa como uma ideia muito econômica, já que além do preço da TV você vai precisar desembolsar mais uma grana pelo dispositivo do Google.

Mas, no geral, o Chromecast acaba sendo uma opção barata: ele é à prova do futuro, o que significa que mesmo que o software da sua TV pare de ser atualizado, o Chromecast continuará, e ninguém vai precisar comprar uma TV nova com uma plataforma diferente depois que a atual parar de funcionar.

Além disso, ele também adiciona recursos de Smart TVs a TVs convencionais. Então se a sua TV atual ainda funciona bem e você só quer um jeito fácil de usar Netflix nela, ter um Chromecast sai bem mais em conta do que comprar um novo aparelho de TV.

Olhar Digital

S8+ tem design e configuração que impressiona até fã de iPhone

O smartphone topo de linha da Samsung tem “tela infinita”, memória RAM de 4 GB e câmeras excelentes

São Paulo – O Galaxy S8+ é o primeiro smartphone da Samsung que podemos afirmar que irá ditar tendências. Apesar de não ser o primeiro com a tal “tela infinita”, que cobre quase toda a frontal do aparelho, o dispositivo topo de linha traz um design inovador com configuração premium que se vê em poucos smartphones no mercado.

Para proteger essa tela de 6,2 polegadas feita praticamente só de vidro, a Samsung usou o Gorilla Glass 5. Além disso, o aparelho possui classificação IP68, ou seja, é resistente contra pó e até 1,5 m de água por 30 minutos. Ainda falando em proteção, o S8+ conta com três tecnologias de desbloqueio: sensor de íris, leitor de impressões digitais e reconhecimento facial.

 O smartphone da Samsung também não decepciona quando o assunto é configuração. Ele tem processador Exynos 8895 com oito núcleos, memória RAM de 4 GB, armazenamento interno de 64 GB, expansível com cartão microSD de até 256 GB, e bateria de 3.500 mAh. No quesito câmeras, o S8+ não apresentou grandes avanços em relação ao S7+, mas isso não quer dizer que elas não são boas: enquanto a principal tem sensor de 12 megapixels, a frontal tem uma de 8 megapixels. Com Android Nougat 7.0, o S8+ está à venda no site oficial da Samsung por 4.399 reais.
Exame.com

Projetor portátil funciona sem fios e pode ser usado por crianças

Projetor cabe na palma da mão, funciona sem fio e é desenvolvido para uso por crianças

A ideia é que a ação de assistir a filmes e desenhos não se restrinja mais à passividade do sofá diante da TV e que esse tipo de atividade possa engajar a família toda, atingindo projeção de até 150 polegadas em resolução Full HD. O Cinemood protagoniza uma campanha de financiamento coletivo de sucesso no site Indiegogo.

 Minúsculo, projetor dispensa uso de fios e roda Android (Foto: Divulgação/Cinemood)

Minúsculo, projetor dispensa uso de fios e roda Android (Foto: Divulgação/Cinemood)

Os criadores do projetor garantem que pais podem ter controle preciso sobre o conteúdo acessado pelo dispositivo e que até mesmo a ação de contar histórias na cama se beneficia do aparelho: é possível projetar os contos no teto, criando um ambiente mais imersivo e interativo.

Por trás de tudo, o projetor roda o sistema Android 4.4, que garante acesso a aplicativos e material como livros e fotos, possibilitando um funcionamento similar ao do Chromecast, mas sem a TV e com direito a projeção nas paredes da sala. Embora a versão do sistema seja antiga, o fabricante não fala em atualizações previstas.

O projetor cabe na palma da mão, pesa só 250 gramas e pode ser personalizado por um conjunto de capas oferecidas pelo fabricante. Há um aplicativo para iOS que controla o aparelho via Wi-Fi. O fabricante também fala em liberar planos de assinatura para distribuição de conteúdo ao longo do tempo.

Fabricante garante autonomia de até três horas para vídeo (Foto: Divulgação/Cinemood)

Fabricante garante autonomia de até três horas para vídeo (Foto: Divulgação/Cinemood)

Sem fio, o aparelho tem bateria para 3 horas de reprodução de vídeo, 32 GB de espaço para dados, que podem ser expandidos com um pendrive. Sem interface HDMI, é preciso copiar o conteúdo para o projetor antes de exibi-lo.

A campanha de arrecadação já foi encerrada, mas ainda é possível adquirir o produto via Indiegogo. Por US$ 399 (R$ 1.320, em conversão direta), o comprador fica com o projetor mais um pacote com desenhos, filmes, audiobooks e conteúdo educacional.

Indiegogo

Saiba Quais São os 5 aparelhos Que Gastam Energia Mesmo Desligados

 Você acha que, somente ao desligar os aparelhos domésticos, vai estar economizando energia, certo?

Errado!
Há alguns aparelhos que, mesmo desligados, continuam gastando energia, somente pelo fato de estarem na tomada. Então, o que fazer para evitar esse gasto extra na sua conta de luz no fim do mês? Vamos mostrar aqui os 5 aparelhos que são campeões em usar energia mesmo desligados. Atente-se, siga essas dicas e, no fim do mês e do ano todo, você vai ter conseguido poupar um bom dinheiro! Os valores de watts (W) a seguir são aproximados.

 1. Carregador sem o telefone
5 aparelhos que gastam energia mesmo desligados

1,2 W por dia

Quem diria que o carregador gasta energia mesmo sem estar com o aparelho conectado? Embora a quantidade seja mínima, retire-o imediatamente da tomada assim que carregar o seu telefone e você terá uma pequena economia no fim do mês.

2. Sintonizador de TV digital
5 aparelhos que gastam energia mesmo desligados

22 W por dia

Mesmo que você tenha desligado o sintonizador pelo controle remoto, ele vai continuar gastando energia. Para economizar, é preciso tirar da tomada. No fim do ano, você pode economizar o equivalente a até 40 reais de energia.

5 aparelhos que gastam energia mesmo desligados

24 W por dia

Simplesmente apertar o botão de desligar não significa que a TV foi totalmente desligada, pois a luzinha do stand by permanece acesa. Se você realmente quer desligar o aparelho por completo e economizar, pode retirar da tomada e economizar até 50 reais ao ano.

4. PCs e laptops
5 aparelhos que gastam energia mesmo desligados

96 W por dia

Mesmo que você tenha desligado o seu computador ou laptop e não os retirou da tomada, eles ainda vão consumir energia. Ao fazer isso você pode economizar até um pouco mais de 100 reais ao ano. Aliás, deixar esses aparelhos em stand by pode multiplicar o valor de W em até 1,5.

5. Aparelhos com relógio
5 aparelhos que gastam energia mesmo desligados

108 W por dia

Qualquer aparelho ou eletrodoméstico que tenha relógio digital gasta energia – e não é pouco. Ao desligá-los quando não estão em uso, você pode ter uma economia anual de aproximadamente 120 reais por ano.

TudoPorEmail

A estrada para o 5G no Brasil

E quais dessas tecnologias farão parte do padrão a ser adotado para o 5G.

Fonte: Fabiano Chagas é Consultor de Soluções da ZTE do Brasil

No entanto, se analisarmos profundamente, fica difícil imaginar que essas predições aconteçam em pouco tempo, por uma razão muito simples: a capacidade de conectividade que temos hoje não comportaria esse cenário. Embora a IoT já esteja presente, sobretudo na indústria, o 4G não suportaria a densidade de milhões de dispositivos conectados ao mesmo tempo. Outro exemplo disso são as altas bandas demandadas por serviços de vídeo, VR e AR, que também estão além das capacidades de nossas redes. Portanto, antes dessas promessas é preciso chegar ao 5G.

Há quem pense que, no Brasil, não estamos muito distantes de mercados mais desenvolvidos no quesito conectividade, mas a verdade é que o 4G ainda não está disponível em quase 80% dos municípios e 11% das cidades sequer têm acesso ao 3G. A possibilidade da disrupção de infraestrutura para o salto entre o 4G e o 5G ser consideravelmente menor do que a que foi necessária na transição do 3G para o 4G deve favorecer o Brasil nesta corrida.

Em países como China e Estados Unidos, os testes do “pré-5G” – que são todas as muitas tecnologias capazes de impulsionar conexões móveis – já estão a pleno vapor. Enquanto isso, players de mercado, governos e acadêmicos têm discutido em órgãos como o ITU e o 3GPP, quais dessas tecnologias farão parte do padrão a ser adotado para o 5G.

A ZTE participa desse debate propondo um modelo de desenvolvimento de conectividade baseado em três pilares – eMBB (enhanced Mobile Broad Band), mMTC (massive Machine Type Communications) e URLLC (Ultra Reliable and Low Latency Communications). Os testes utilizando a tecnologia Massive MIMO (usada para multiplicar a capacidade de uma conexão sem fio sem a necessidade de mais espectro e parte do pilar eMBB) vêm sendo realizados nos últimos três anos e apresentam resultados impressionantes, com a multiplicação da velocidade de conexão por até 8 vezes em um mesmo espectro. Além disso, o Massive MIMO funciona com os smartphones LTE atualmente em uso, possibilitando a entrega de uma melhor experiência ao usuário sem a necessidade de novos investimentos por parte dele. Em resumo, o investimento por parte das operadoras e dos usuários é mínimo para se obter ganhos significativos de performance.

Essa pode uma boa alternativa para a aceleração do 5G no mercado brasileiro, já que a liberação do uso de novos espectros para comunicações móveis será um grande desafio, pois muitas destas bandas estão ocupadas por outros serviços no País, vide a dificuldade para a liberação das faixas utilizadas pela finada TV analógica. Trabalhar com uma tecnologia que olha para o futuro sem esquecer do passado pode contribuir diretamente para a realização do desejo do governo brasileiro de seguir o roteiro das principais associações de 5G e iniciar as operações comerciais com essa velocidade de banda a partir de 2020.

Enquanto os parâmetros para o 5G não forem definidos e o mundo hiperconectado continuar sendo um ideal, devemos trabalhar na evolução da infraestrutura de redes 4G aqui no Brasil. Assim será possível democratizar cada vez mais o acesso à internet móvel rápida e ir preparando o terreno para o salto de velocidade que o 5G trará para o dia a dia das pessoas.

Business Leaders