Projetor portátil funciona sem fios e pode ser usado por crianças

Projetor cabe na palma da mão, funciona sem fio e é desenvolvido para uso por crianças

A ideia é que a ação de assistir a filmes e desenhos não se restrinja mais à passividade do sofá diante da TV e que esse tipo de atividade possa engajar a família toda, atingindo projeção de até 150 polegadas em resolução Full HD. O Cinemood protagoniza uma campanha de financiamento coletivo de sucesso no site Indiegogo.

 Minúsculo, projetor dispensa uso de fios e roda Android (Foto: Divulgação/Cinemood)

Minúsculo, projetor dispensa uso de fios e roda Android (Foto: Divulgação/Cinemood)

Os criadores do projetor garantem que pais podem ter controle preciso sobre o conteúdo acessado pelo dispositivo e que até mesmo a ação de contar histórias na cama se beneficia do aparelho: é possível projetar os contos no teto, criando um ambiente mais imersivo e interativo.

Por trás de tudo, o projetor roda o sistema Android 4.4, que garante acesso a aplicativos e material como livros e fotos, possibilitando um funcionamento similar ao do Chromecast, mas sem a TV e com direito a projeção nas paredes da sala. Embora a versão do sistema seja antiga, o fabricante não fala em atualizações previstas.

O projetor cabe na palma da mão, pesa só 250 gramas e pode ser personalizado por um conjunto de capas oferecidas pelo fabricante. Há um aplicativo para iOS que controla o aparelho via Wi-Fi. O fabricante também fala em liberar planos de assinatura para distribuição de conteúdo ao longo do tempo.

Fabricante garante autonomia de até três horas para vídeo (Foto: Divulgação/Cinemood)

Fabricante garante autonomia de até três horas para vídeo (Foto: Divulgação/Cinemood)

Sem fio, o aparelho tem bateria para 3 horas de reprodução de vídeo, 32 GB de espaço para dados, que podem ser expandidos com um pendrive. Sem interface HDMI, é preciso copiar o conteúdo para o projetor antes de exibi-lo.

A campanha de arrecadação já foi encerrada, mas ainda é possível adquirir o produto via Indiegogo. Por US$ 399 (R$ 1.320, em conversão direta), o comprador fica com o projetor mais um pacote com desenhos, filmes, audiobooks e conteúdo educacional.

Indiegogo

O ex-jogador do Manchester United que chegou a ter salário anual de US$ 700 mil e hoje é frade com voto de pobreza

Philip Mulryne foi colega de David Beckham e namorou modelo, mas agora adotou batina e é frade dominincano.

Philip Mulryne beija o chão durante a cerimônia em que foi ordenado como padre, em Dublin (Foto: Philip McShane)

Philip Mulryne beija o chão durante a cerimônia em que foi ordenado como padre, em Dublin (Foto: Philip McShane)

 Não faz muito tempo, a vida de Philip Mulryne era completamente diferente.

Em vez da batina, seu uniforme de trabalho era composto de short, camisa, meião e chuteiras.

Seu templo, o estádio de Old Trafford, pertencente ao poderoso Manchester United, um dos clubes de futebol mais ricos do mundo.

Em vez de colegas praticamente anônimos, o norte-irlandês esbarrava nos corredores em David Beckham.

O ex-jogador de futebol, porém, hoje não poderia estar em um mundo mais diferente que o dos tempos em que chegou a ter um salário anual de cerca de US$ 700 mil (o equivalente a quase R$ 2,3 milhões) e namorou a modelo inglesa Nicola Chapman.

O hoje frade atuou em 27 partidas pela seleção da Irlanda do Norte (Foto: Pacemaker)

O hoje frade atuou em 27 partidas pela seleção da Irlanda do Norte (Foto: Pacemaker)

Desde o último sábado, ele é conhecido como frei Mulryne, depois de ter sido ordenado como mais novo representante dos Dominicanos, uma ordem católica cujos principais compromissos são o voto de pobreza e castidade.

Nascido em Belfast, Mulryne jogou 27 vezes pela seleção da Irlanda do Norte. Apesar do início promissor em Manchester, ele passou a maior parte de sua carreira no Norwich City, um clube oscilando entre a primeira e segunda divisões.

Ele ficou mais famoso pelo episódio em que foi cortado da seleção norte-irlandesa às vésperas de uma partida contra a Inglaterra pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2006, depois de fugir do hotel para passar a noite bebendo em um bar de Belfast. Ficou fora do grupo que obteve uma histórica e inédita vitória.

Mulryne se aposentou em 2009 e quase imediatamente começou sua carreira religiosa, ao entrar para um seminário da capital norte-irlandesa. Ele também cursou filosofia na Queens University antes de, em 2012, juntar-se aos dominicanos.

Philip Mulryne foi ordenado pelo arcebispo Di Noia, um nome poderoso no Vaticano (Foto: Philip McShane)

Philip Mulryne foi ordenado pelo arcebispo Di Noia, um nome poderoso no Vaticano (Foto: Philip McShane)

Na semana passada, o frei Mulryne celebrou sua primeira missa, um evento realizado na Igreja de Santo Olivério Plunkett, em Belfast – curiosamente, próxima ao estádio de Windsor Park, a “casa” da seleção de futebol.

“Este é um novo capítulo da minha vida”, declarou ele.

Embora tenha dado destaque à ordenação, a mídia irlandesa levantou algumas dúvidas relacionadas ao voto de pobreza do ex-jogador. O jornal “Belfast Telegraph” apurou que, em setembro do ano passado, Mulryne declarou falência na Alta Corte da cidade e que era investidor em duas produtoras de cinema que tinham declarado prejuízo de ordem de mais de R$ 3 milhões – diversos jogadores ex-jogadores britânicos investiram durante anos em empresas deste tipo aproveitando uma lei de incentivo fiscal.

Ainda assim, sua cerimônia de ordenação contou com uma presença ilustre: o arcebispo americano Joseph Augustine Di Noia, integrante de Ordem Dominicana e um nome proeminente no Vaticano, viajou especialmente para Dublin para coordenar o evento.

G1

‘Gangnam Style’ não é mais o vídeo mais assistido no YouTube

 Depois de cinco anos na liderança, o clip da música “Gangnam Style”, do sul-coreano Psy, não é mais o vídeo com maior número de acessos no YouTube. Ele foi ultrapassado pelo clip da música “See You Again”, de Wiz Khalifa e Charlie Puth.

O vídeo foi acessado 2.895.373.709 vezes, batendo as 2.894.426.475 visualizações de “Gangnam Style”. O principal motivo para o alto número de acessos é o fato de que a música foi usada nos créditos do filme “Velozes e Furiosos 7”, em homenagem ao ator Paul Walker, que morreu em um acidente de carro antes do longa ter sido concluído.

 De acordo com a análise da Midia Research, cada visualização no YouTube gera US$ 0,001 para a indústria da música, o que significa que Khalifa e Charlie Puth ganharam em torno de US$ 2,9 milhões do YouTube com a música.

Veja quais são os 10 vídeos mais acessados no YouTube:

Reprodução

Olhar Digital